Provável sucessor de Blair anuncia corte de impostos

Numa medida surpreendente, o secretário do Tesouro do Reino Unido, Gordon Brown, anunciou nesta quarta-feira, 21, inesperados cortes no impostos de renda e sobre o lucro das empresas britânicas. Principal candidato do Partido Trabalhista para substituir o premier Tony Blair, que deve deixar o cargo em poucos meses, Brown fez o anúncio em seu 11º - e provavelmente último - pronunciamento sobre o orçamento do país.Em um momento em que o oposicionista Partido Conservador tenta corroer o apoio à candidatura de Brown, o secretário aproveitou para destacar seus recordes econômicos à frente do Tesouro, e pediu mais verbas para ajudar a acabar com a pobreza global. Desafiando as previsões dos economistas, que apostavam em um orçamento "sóbrio" diante dos resultados pífios das finanças públicas britânicas no último ano, Brown também revelou planos para gastos recordes de 674 bilhões de libras (US$ 1,3 trilhão) pelo governo até 2010.Para o analista David Williams, do banco de investimentos Morgan Stanley, o pacote financeiro é certamente um "orçamento pré-eleitoral" com uma série de "concessões" para estimular o futuro crescimento da economia. Deixando o "melhor" para o final de seu discurso diante da Câmara dos Comuns, o secretário anunciou que o imposto de renda será cortado em dois pontos porcentuais para 20% a partir de abril do ano que vem.Ele também tentou apaziguar a comunidade financeira, que por muito tempo reclamou das excessivas taxações, cortando o imposto cobrado de corporações em dois pontos percentuais, para 28%. "Nossa impressão é que há menos aqui do que aparenta, com muitos exemplos de Blair dando com uma mão e tirando com a outra", disse Howard Archer, economista da Global Insight, que pontuou que Brown está pagando pelas reduções abolindo taxações de categoria inferior. Na prática, quem pagava menos vai passar a pagar o mesmo que quem pagava mais.Aspirações governamentaisO anúncio dos gastos visam aumentar a popularidade do Partido Trabalhista, após 10 anos no poder, e articular os planos de Brown para governar os país após a saída de Blair.O premiê não definiu uma data para sua saída, mas deve deixar o cargo antes de Setembro. Apenas outros dois candidatos do partido, Michael Meacher e John McDonnell, declararam suas intenções de concorrer com Brown, mas precisam de assinaturas de outros 44 legisladores do partido para tal.Brown está enfrentando maior oposição do Partido Conservador, com a candidatura do líder David Cameron.Uma pesquisa de opinião nesse mês apontou uma diferença de 10 pontos entre os candidatos. Os consevadores apareciam com 41% das intenções de voto, enquanto o Partido Trabalhista se manteve com 31%.Texto ampliado às 16h21.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.