Província na Malásia introduz açoitamentos públicos

Juízes dos tribunais islâmicos decidiram que o castigo, aplicável somente a muçulmanos, será executado em público ou na prisão, informou a imprensa local

O Estado de S.Paulo

13 Julho 2017 | 04h38

BANGKOK - O Parlamento do estado de Kelantan, no noroeste da península da Malásia, apresentou uma emenda à lei islâmica (sharia) para introduzir açoitamento públicos. A modificação ocorre num momento em que o jihadismo ganha força no Sudeste Asiático. 

A emenda aprovada introduz também o serviço comunitário como forma de pena e autoriza a polícia a algemar os infratores da lei islâmica, apresentando vídeos como provas. 

A medida entrará em vigor quando for publicada no diário oficial da província. Kelantan, território fundamentalmente agrário e com população de 1,7 milhão de habitantes, governado desde 1990 pelo Partido Pan-Islâmico da Malásia.  

A Indonésia, assim como a Malásia, tem maioria muçulmana e aprovou este mês mediante um decreto presidencial um dispositivo que permite às autoridades dissolver organizações radicais sem necesssidade de recorrer ao poder judicial. / EFE

Mais conteúdo sobre:
Sudeste Asiático Malásia Indonésia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.