Publicidade oficial cresceu

Desde que assumiu a Casa Rosada, a presidente Cristina Kirchner aumentou os gastos com publicidade oficial do governo argentino e privilegiou veículos menos críticos à sua administração na divisão dessa verba.

O Estado de S.Paulo

14 de dezembro de 2011 | 03h05

Segundo relatório feito com dados da ONG Poder Ciudadano, o governo destinou US$ 288,2 milhões para propaganda em 2010 - 210% a mais do que em 2008, primeiro ano de Cristina no poder. O gasto do governo equivaleu a 9% do total do mercado publicitário argentino, o que o torna o maior anunciante do país - os produtos da Unilever vêm a seguir, com 5%.

Ao longo do ano passado, o governo de Cristina Kirchnerbeneficiou meios de comunicação aliados em detrimento de empresas não alinhadas com a presidente. O jornal Página 12 recebeu US$ 5,64 milhões em anúncios publicitários, enquanto o Clarín - o jornal de maior tiragem da Argentina, crítico do governo - levou US$ 400 mil.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.