William Edwards/AFP
William Edwards/AFP

Pubs britânicos lutam pela sobrevivência 

Bares do Reino Unido se preparam para voltar a funcionar após um ano com as portas fechadas

Ben Perry / France Presse , O Estado de S.Paulo

22 de março de 2021 | 05h00

LONDRES - Barris de cerveja dão lugar a latas de tinta no Great Northern, um pub em St. Albans, no norte de Londres, um ano depois que o Reino Unido entrou em seu primeiro confinamento contra o coronavírus. 

“Nunca imaginei que, um ano depois, ainda estaríamos fechados”, disse a gerente, Emma Parkhouse, com um suspiro, enquanto pintava as paredes da construção vitoriana, algumas semanas antes de reabrir. 

“Foi difícil, tivemos de enfrentar uma série de obstáculos, mas tentamos manter uma atitude positiva”, afirmou Parkhouse em seu pub, que fica ao lado de um cinema que também está fechado desde o último confinamento imposto pelo governo, em meados de dezembro, em razão de uma escalada nos casos de covid-19

As restrições impostas à sua atividade custaram todos os lucros de 2019. Emma Parkhouse explica que o Great Northern – um dos muitos pubs de St. Albans, conhecido por sua catedral e resquícios de construções dos tempos romanos – conseguiu sobreviver graças à ajuda do governo britânico para as empresas e também à adaptação dos serviço, que agora inclui comida e bebida para viagem. 

Além de redecorar o interior do bar, ela também reformou o pátio para atender ao distanciamento. A partir de 12 de abril, os pubs britânicos poderão servir novamente bebidas alcoólicas, mas apenas para clientes do lado de fora. Eles precisarão esperar mais um mês para atendê-los no ambiente interno. “Já estamos lotados para a primeira semana. Estamos rezando para não chover”, brinca Parkhouse, pouco depois de uma chuva torrencial encharcar os ladrilhos do jardim. 

A British Beer and Pub Association (BBPA) afirma que cerca de 2 mil pubs dos 50 mil que existem no Reino Unido fecharam as portas no ano passado, um golpe para uma indústria que já sofre com as mudanças no modo de vida britânico, a competição dos supermercados e os altos impostos. 

As vendas de cerveja em pubs diminuíram em mais da metade no ano passado, para 7,8 bilhões de libras (cerca de R$ 60 bilhões), de acordo com a associação. “Infelizmente, ainda não vimos toda a extensão dos danos e não veremos por um bom tempo até que as coisas voltem ao normal”, disse Emma McClarkin, diretora da BBPA. 

No entanto, a Campaign for Real Ale (Camra), associação que promove pubs como parte da cultura britânica, está otimista e pede ao governo mais apoio ao setor. “A paralisação de meses também afeta os clientes, especialmente as pessoas solitárias que socializam no pub do bairro”, explica Parkhouse. “O isolamento é horrível. Por isso, as pessoas também vêm ao bar para se conectar com os outros.”

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.