Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Pubs britânicos querem impedir entrada do ministro da Finanças

Proprietários de pubs britânicoslançaram uma campanha para barrar o ministro das FinançasAlistair Darling de todos os bares da Grã-Bretanha, por terelevado os impostos sobre as bebidas alcoólicas no orçamento,divulgado em 12 de março. O dono de pub Jason Hughes lançou a campanha logo depoisque o orçamento veio a público, colocando um pôster com umasátira na janela de seu estabelecimento, o Utopia Bar, emEdimburgo (Escócia), terra natal de Darling, proibindo apresença do ministro da Fazenda no recinto. Essa atitude resultou em uma campanha que espalhou ospôsteres em diversos pubs da Grã-Bretanha, em um grupoorganizado para promover a causa e em outro grupo no web sitede relacionamentos Facebook chamado "Alistair Darling você estábarrado". O grupo já angariou milhares de membros, chamando a atençãodo líder do Partido Conservador, de oposição, David Cameron,que mencionou o fato no Parlamento na quarta-feira. "Toda vez que você abastece o carro, os impostos subiram;toda vez que compra um carro, os impostos subiram, toda vez queuma família vai às compras, daí por diante", disse Cameron."Por isso, todos os pubs da Grã-Bretanha estão tentando impediro ministro da Fazenda de tomar uma cerveja". Darling aumentou as tarifas sobre a cerveja, o vinho ebebidas destiladas em seu orçamento e ainda disse que a taxaçãosobre o álcool vai continuar subindo 2 por cento acima dainflação nos próximos quatro anos. "É uma atitude irresponsável do ministro aumentar as taxassobre o alcóol em pubs quando os supermercados vendem álcoolmuito mais barato", disse à Reuters Duncan Davis, dono do BlackBull Inn, na cidade inglesa de Frosterley. Uma pesquisa feita no começo do ano por um grupo depromoção da cerveja mostrou que 57 pubs britânicos fecham pormês no país. O Ministério das Finanças não estava disponível paracomentar o assunto.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.