Putin adverte EUA sobre escudo antimíssil

Apesar do clima de cordialidade que marcou neste sábado a primeira reunião de cúpula entre os presidente dos EUA e da Rússia, George W. Bush e Vladimir Putin, o líder russo advertiu que a intenção americana de construir um escudo antimísseis balísticos pode complicar a relação entre os dois países."Qualquer ação unilateral pode tornar mais complicados diversos problemas e questões", declarou Putin na entrevista coletiva que os dois presidentes concederam conjuntamente após o encontro.Putin qualificou o Tratado Antimísseis Balísticos (ABM) - que teria de ser revisto para permitir a construção do escudo - de "pilar da moderna segurança internacional". Em discursos anteriores, Bush tinha classificado o mesmo tratado de "relíquia da guerra fria".Em sua essência, o ABM, firmado pela extinta União Soviética e os EUA em 1972, impede que uma potência nuclear desenvolva sistemas de defesa que a torne invulnerável. Bush e Putin encontraram-se no Castelo de Brdo, a 30 quilômetros de Liubliana, capital da Eslovênia. Para romper o gelo, os dois mantiveram o primeiro contato nos jardins do castelo e logo depois declararam ter tido "boa impressão" um do outro.No fim da reunião de duas horas, Bush disse que o encontro tinha sido "objetivo e produtivo". Para Putin, os dois firmaram "uma boa base" sobre a qual podem prosseguir o relacionamento bilateral.Ele destacou que Bush já lhe causara boa impressão um dia antes, ao afirmar, durante visita à Polônia que "a Rússia não é inimiga dos EUA". O presidente russo também anunciou que visitará os EUA ainda este ano. Os dois dispensaram os intérpretes depois que assessores perguntaram em que língua iriam conversar. "Inglês", respondeu o presidente russo.Assessores de ambos os dirigentes deixaram claro antes que não seria firmado nenhum acordo formal, uma vez que na primeira cúpula os dois só buscavam conhecerem-se melhor. Embora tenha reiterado a oposição ao projeto do escudo defendido por Bush, Putin declarou que os responsáveis russos pelas políticas de relações exteriores e defesa trabalharão intensamente com seus colegas americanos para aproximar as posições dos dois países sobre o tema.Depois, Bush equivocou-se ao mencionar o nome do chanceler russo Serguei Ivanov, a quem chamou de "Andrei" Ivanov. Na entrevista coletiva, o presidente americano também defendeu a integração da Rússia à Organização Mundial do Comércio (OMC).O encontro com Putin foi o último ato da primeira visita oficial de Bush à Europa, iniciada na terça-feira. No centro de Liubliana, a polícia dispersou cerca de mil manifestantes contra a globalização e prendeu 20 ativistas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.