Putin afasta três generais da cúpula militar

Numa medida destinada a reforçar o controle do Kremlin sobre o norte do Cáucaso, o presidente da Rússia, Vladimir Putin, destituiu três generais e um alto oficial de segurança do Estado. Entre os oficiais afastados, estão os generais Vyacheslav Tikhomirov, comandante das tropas do Ministério do Interior, e Mikhail Labunets, comandante das unidades do ministério naquela região militar.A decisão do presidente foi interpretada nos meios militares e políticos russos como reação direta ao ataque de guerrilheiros chechenos de 21 de junho a Nazran, principal cidade da república russa da Ingushétia (vizinha à Chechênia), que deixou cerca de cem mortos. Os separatistas chechenos chegaram a tomar Nazran e outras localidades ingushétias durante várias horas.O comando das forças do Ministério do Interior foi assumido interinamente pelo general Nikolai Rogozhkin.Putin também exonerou Anatoli Yejkov do cargo de diretor-adjunto do Serviço Federal de Segurança (FSB, antiga KGB), responsável pela segurança da região norte do Cáucaso. O comando das tropas do norte do Cáucaso e do Volga ficaram a cargo, respectivamente, dos generais Alexandr Baranov e Vladimir Boldyrev. Único general com o título de "Herói da Rússia", Baranov já comandou as forças russas na Chechênia.Também acabou destituído o general Anatoli Kvashnin, que ocupava chefia do Estado-Maior russo e o cargo de vice-ministro da Defesa. Mas Putin outorgou a ele a Ordem do Mérito Militar em reconhecimento a "relevantes serviços prestados no fortalecimento da defesa do país".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.