Putin alerta a Geórgia para não provocar a Rússia

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, alertou à Geórgia nesta quarta-feira para não provocar e ameaçar mais Moscou, e acusou a liderança pró-ocidental de Tbilisi de ter recorrido à "chantagem" durante o recente impasse em torno de um grupo de militares russos detidos pelas autoridades georgianas sob acusação de espionagem.Enquanto isso, a Câmara baixa do Parlamento russo, a Duma, aprovou uma resolução condenando o comportamento "anti-Rússia" do governo georgiano e ameaçando com "duras medidas" caso a situação deteriore.Depois da detenção dos militares, a Rússia impôs duras sanções à Geórgia, cortando as redes de transporte, de comunicações e postais entre os dois países. Tbilisi libertou os militares na segunda-feira, mas o Kremlin recusou-se a suspender as medidas punitivas apesar de pedidos da União Européia e dos Estados Unidos.A polícia de Moscou está promovendo buscas em negócios e restaurantes da grande diáspora georgiana na capital e no fim da semana o Parlamento irá discutir um projeto de lei que bloqueia o envio de dinheiro ao exterior por parte de georgianos vivendo na Rússia.Tal medida representaria um duro golpe para a cambaleante economia da Geórgia, cujos 4,4 milhões de habitantes dependem amplamente dos quase um bilhão de dólares anuais que enviam para o país os cerca de um milhão de georgianos vivendo na Rússia.O objetivo de Moscou parece ser o de punir o presidente georgiano, Mikhail Saakashvili pela detenção dos militares. Num âmbito maior, a disputa reflete a preocupação do Kremlin com a intenção de Tbilisi de se integrar à Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) e respaldar a presença de Washington na antiga área de influência soviética.Antes da aprovação por 418 votos a favor e um contra da resolução na Duma, Putin fez advertências diretas à Geórgia."Eu não aconselharia ninguém a se dirigir à Rússia em termos provocativos e chantagens", disse Putin.Um funcionário do Kremlin, Modest Kolerov, adiantou que a Rússia só reativará as ligações por ar, terra e mar com a Geórgia quando Tbilisi parar com a "retórica hostil".Ameaças e provocações continuam A Geórgia ameaçou nesta quarta-feira bloquear a entrada da Rússia na Organização Mundial do Comércio (OMC), caso Moscou não suspenda as sanções impostas pela detenção e posterior deportação dos quatro supostos espiões russos."Se a Rússia não suspender as sanções, a Geórgia poderia bloquear o processo de integração da Rússia na OMC", disse o presidente do Banco Nacional da Geórgia (BNG), Roman Gotsiridze. O presidente do BNG advertiu que as sanções, "inadequadas" e "infundadas", "podem acarretar prejuízos para a própria Rússia tanto no plano econômico, como em relação a seu prestígio internacional". A Rússia deve concluir as negociações e assinar protocolos comerciais bilaterais com os 149 países-membros se quiser entrar na OMC.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.