Putin assume como presidente da Rússia

Vladimir Putin assumiu nesta segunda-feira um novo mandato como presidente da Rússia, numa breve cerimônia no Kremlin, enquanto a polícia tentava conter centenas de manifestantes contrários ao governo nas ruas de Moscou.

AE, Agência Estado

07 Maio 2012 | 09h26

Putin, de 59 anos, vem comandando o país desde 2000, primeiro como presidente e, depois, como primeiro-ministro nos últimos quatro anos. Ele permanecerá no poder até 2018, com a opção de se reeleger.

"Eu considero os serviços prestados à pátria e nossa nação o significado de minha vida", disse Putin, durante discurso a 3 mil convidados no Kremlin.

Apesar das inéditas medidas de segurança adotadas no centro da capital russa, como a interrupção do trânsito de veículos e o fechamento de estações de metrô, pelo menos 1 mil ativistas da oposição tentaram realizar protestos ao longo da rota que a carreata de Putin seguiu até o Kremlin. Muitos usavam a fita branca que simboliza o movimento anti-Putin.

Os manifestantes, divididos em diversos grupos, entraram em confronto hoje com a polícia russa e cerca de 120 deles foram presos, incluindo o líder oposicionista Boris Nemtsov.

A cerimônia de posse veio um dia depois de um grande protesto que atraiu mais 20 mil pessoas, menos do que nas manifestações que precederam sua eleição em março, mas sinalizando que a frustração com a volta de Putin ao Kremlin ainda não passou. O protesto de domingo acabou descambando para a violência quando parte dos manifestantes tentou marchar em direção ao Kremlin. Na ocasião, mais de 400 manifestantes foram detidos pela polícia.

Depois de fazer o juramento com a mão sobre uma cópia vermelha da Constituição russa, Putin declarou seu compromisso com a democracia. "Queremos viver e vamos viver em um país democrático, onde todos têm a liberdade e oportunidade de exercerem seu talento e trabalho, sua energia. Nós queremos viver e vamos viver numa Rússia bem sucedida, respeitada pelo mundo como um parceiro confiável, aberto, honesto e previsível", disse, ao ser empossado.

Dmitry Medvedev, que serviu como presidente da Rússia nos últimos quatro anos, resumiu seu mandato com um curto discurso durante a cerimônia. "Trabalhei como prometi ao fazer o juramento: abertamente e com honestidade, observando os interesses do povo, fazendo o possível para que (os russos) fossem livres e olhassem para o futuro com confiança", disse.

A expectativa é que Putin nomeie Medvedev como primeiro-ministro nesta terça-feira. As informações são da Associated Press.

Mais conteúdo sobre:
RússiaPutinprotestos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.