Putin critica resolução contra Líbia aprovada pela ONU

O primeiro-ministro russo, Vladimir Putin, criticou hoje a resolução aprovada na semana passada pelo Conselho de Segurança (CS) da Organização das Nações Unidas (ONU) que prevê ações militares na Líbia a fim de proteger civis. Segundo ele, o texto tem imperfeições e lembra "um pedido medieval para a cruzada", informaram agências de notícias.

AE, Agência Estado

21 de março de 2011 | 09h57

Já o ministro das Relações Exteriores da Índia, S.M. Krishna, pediu hoje o fim dos ataques aéreos na Líbia que, segundo ele, iriam causar mais danos a "civis inocentes, cidadãos estrangeiros e missões diplomáticas". "Nós lamentamos os ataques aéreos que estão ocorrendo", afirmou ele em Nova Délhi, segundo a agência Press Trust of India e outros meios.

Membro temporário do Conselho de Segurança, a Índia se absteve na votação da quinta-feira que aprovou a resolução contra a Líbia. Já a Rússia, um membro permanente do CS, votou a favor do texto.

O presidente da Autoridade Palestina, Mahmoud Abbas, disse hoje, durante visita a Budapeste, Hungria, que o Conselho Nacional Palestino estava "triste" com a violência durante o mês de confrontos na Líbia. Ele não quis comentar a intervenção internacional no país árabe do norte africano. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
LíbiaprotestosPutincríticasONU

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.