Putin defende diálogo com a Coréia do Norte

O presidente da Rússia, Vladimir Putin,afirmou nesta quarta-feira que não se deve encurralar a Coréia do Norte, o quelevaria o regime comunista a "radicalizar a situação". "Nunca se deve levar a situação a um atoleiro, nem deixar uma das partes numa situação sem saída", disse Putin, ao responder ao vivo pela televisão a uma pergunta de um cidadão no programa "Linhadireta com o presidente". O chefe do Kremlin disse que no processo de negociações multilaterais com a Coréia do Norte nem todos adotaram o "tom apropriado" e ressaltou que esta circunstância deve ser levada emconta. No entanto, condenou o teste nuclear de 9 de outubro, que considerou inadmissível. "A saída é a volta às conversações multilaterais", disse Putin, em referência às negociações sobre o programa nuclear norte-coreano, com a participação dos EUA, Rússia, China, Japão e das duas Coréias. Putin afirmou que a Coréia do Norte enviou sinais de estar disposta a retomar às negociações, se receber garantias de segurança. "Com a boa vontade de todos os participantes do processo denegociações, poderemos achar uma solução", acrescentou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.