EFE/ Alexey Nikolsky / Sputnik / Krem
EFE/ Alexey Nikolsky / Sputnik / Krem

Putin diz que convidou Trump a Moscou e está disposto a visitar Washington

À margem de encontro do Brics, presidente russo afirma que espera se reunir novamente com colega americano para discutir questões como o programa nuclear do Irã, conflitos no Oriente Médio e tratados de controle de armas quando as 'condições forem apropriadas'

O Estado de S.Paulo

27 Julho 2018 | 12h33

JOHANNESBURGO, ÁFRICA DO SUL - O presidente russo, Vladimir Putin, disse nesta sexta-feira, 27, que convidou o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, a Moscou, e que ambos os líderes estão prontos para realizar novas reuniões, mas que as condições precisam ser as corretas para que uma nova cúpula aconteça.

Putin e Trump se reuniram em Helsinque na semana passada, e o presidente americano enfrentou uma avalanche de críticas em seu país pela forma como tratou o encontro.

Falando a repórteres durante cúpula do Brics na África do Sul, Putin disse que telefonemas entre Moscou e Washington são insuficientes, e que ambos os lados precisam se encontrar para discutir questões como o programa nuclear do Irã, conflitos no Oriente Médio e tratados de controle de armas.

“Com relação às nossas reuniões, eu entendo muito bem o que o presidente Trump disse. Ele tem o desejo de ter mais reuniões, realizar novas reuniões. Estou pronto para isso. Precisamos que as condições apropriadas existam, sejam criadas, até mesmo em nossos países”, disse Putin.

“Estamos prontos para essas reuniões. Estamos prontos para convidar o presidente Trump a Moscou. A propósito, ele já tem esse convite”, acrescentou. “Estou pronto para ir a Washington. Repito mais uma vez, se as condições certas para o trabalho forem criadas.”

Putin disse que, enquanto isso, é possível que ele e Trump se encontrem à margem da cúpulas do G-20 - que será realizada em Buenos Aires entre 30 de novembro e 1 de dezembro - , ou durante outros eventos internacionais.

Em referência à reação dentro dos Estados Unidos após o desempenho de Trump na cúpula de Helsinque, Putin disse: “Apesar das dificuldades, neste caso particular as dificuldades ligadas à situação política interna nos Estados Unidos, a vida continua e nossos contatos continuam.” / REUTERS, AFP e EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.