Putin diz que é impossível refazer eleições

O primeiro-ministro da Rússia, Vladimir Putin, disse nesta terça-feira que não considera realizar novamente eleições, após várias acusações de fraude nas votações parlamentares realizadas em 4 de dezembro, informaram agências de notícias locais. "A Duma está funcionando e não pode haver discussão sobre qualquer tipo de revisão dos votos", afirmou Putin, referindo-se à Câmara Baixa do Legislativo russo.

AE, Agência Estado

27 de dezembro de 2011 | 10h37

Putin acrescentou que está confiante de que receberá o apoio popular, ao se apresentar como candidato nas eleições presidenciais de 4 de março. "Eu não preciso de qualquer manipulação. Eu mesmo quero que as eleições sejam completamente transparentes", afirmou. "Eu quero me inclinar diante do desejo do povo, a confiança do povo."

Já Mikhail Prokhorov, o empresário que deve concorrer contra Putin no ano que vem, disse que não descarta uma coalizão com o ex-ministro das Finanças Alexei Kudrin, durante entrevista ao canal Rossiya-24 TV. Os dois participaram dos protestos que reuniram milhares de pessoas no sábado, pedindo novas eleições parlamentares e reformas políticas no país.

Os manifestantes pedem que os eleitores não votem em Putin. Prokhorov disse que compartilha dos mesmos valores básicos de Kudrin, um aliado de Putin que perdeu o posto de ministro há três meses, após criticar gastos excessivos federais e militares do governo do presidente Dmitry Medvedev. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
RússiaeleiçõesPutin

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.