Putin diz que país não enviou mísseis S-300 para Síria

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, disse nesta terça-feira que seu país ainda não cumpriu o contrato para o fornecimento do sofisticado sistema de defesa de mísseis S-300 para a Síria, pois isso poderia prejudicar o equilíbrio de forças na região.

Agência Estado

04 de junho de 2013 | 10h29

Anteriormente, autoridades russas reconheceram que Moscou assinou um acordo para a entrega dos mísseis alguns anos atrás, mas não havia afirmado se algum tipo de armamento fora entregue.

O presidente sírio, Bashar Assad, disse à emissora libanesa de televisão Al-Manar, na semana passada, que a Rússia havia cumprido recentemente alguns de seus contratos para a venda de armas, mas foi vago ao dizer se isso incluía o sistema S-300.

A falar perante uma plateia durante a cúpula Rússia-União Europeia, na cidade de Yekaterinburg, nos Montes Urais, Putin defendeu o acordo para a venda do S-300, afirmando que ele está de acordo com a lei internacional, mas acrescentou que a Rússia ainda não cumpriu sua parte. "Talvez seja o melhor armamento deste tipo no mundo", declarou Putin durante uma coletiva de imprensa. "Na verdade, é um armamento sério. Não queremos prejudicar o equilíbrio na região", afirmou.

"O contrato foi assinado alguns anos atrás, mas ele ainda não foi cumprido", disse Putin.

Estados Unidos e Israel advertiram a Rússia a respeito da entrega dos mísseis, que aumentariam muito o poder de defesa aérea sírio. Israel realizou vários ataques aéreos contra a Síria nos últimos meses com o suposto objetivo de destruir armas que estariam sendo enviadas para o Hezbollah no Líbano. Fonte: Associated Press;

Mais conteúdo sobre:
RússiaSíriaPutinmísseis

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.