Putin diz que proposta para Síria funcionará se EUA desistirem de ataque

Presidente russo confirma haver armas químicas na Síria e e pede que países 'rejeitem o uso da força'

AE, Agência Estado

10 Setembro 2013 | 17h03

MOSCOU - O presidente russo, Vladimir Putin, afirmou nesta terça-feira, 10, que a proposta de a Síria entregar suas armas químicas "pode funcionar apenas se o lado americano e seus aliados rejeitarem o uso da força".

Para repórteres, Putin confirmou a existência de arsenal químico na Síria. "É bem sabido que a Síria possui um certo arsenal de armas químicas, que sempre foi visto pelos sírios como uma alternativa (de resposta) às armas nucleares de Israel."

O presidente americano, Barack Obama, aprovou a proposta francesa no Conselho de Segurança da ONU, mas não abandou a ideia de um ataque se esses esforços falharem.

A resolução proposta pela França pede que a Síria abra seu programa de armas químicas para inspeção, deixe as armas sob controle internacional para serem futuramente destruídas e afirma que o regime sírio foi responsável pelo ataque químico em Ghouta, no dia 21 de agosto.

Mais conteúdo sobre:
SíriaVladimir PutinRússia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.