Maxim Shemetov/Reuters
Maxim Shemetov/Reuters

Putin diz que Snowden pode ficar na Rússia se interromper revelações

Presidente russo afirmou que não vai entregar o ex-técnico da CIA aos EUA

O Estado de S. Paulo,

01 Julho 2013 | 12h47

(Atualizada às 15h30) MOSCOU - O presidente da Rússia, Vladimir Putin, afirmou nesta segunda-feira, 1, que seu país não vai entregar Edward Snowden aos EUA e que se ele desejar ficar na Rússia, "deve interromper atividades que possam prejudicar nossos aliados" parando as revelações sobre a segurança nacional dos EUA.

"Se ele quer sair (de Moscou) e alguém o receber, por favor. Se ele quiser permanecer aqui, há uma condição: deve parar o trabalho direcionado a prejudicar nossos parceiros americanos, por mais estranho que isso soe em meus lábios". Snowden, segundo relatos, permanece na área de trânsito de um aeroporto em Moscou.

O ex-técnico da CIA revelou a existência de programas de monitoramento do governo americano, foi para Hong Kong e, de lá, para Moscou. "A Rússia nunca entregou ninguém e não tem intenção de fazê-lo. No melhor dos casos, trocamos agentes estrangeiros de nossa inteligência por presos e condenados na Rússia."

O presidente ressaltou que Snowden não é um agente russo e que Moscou nunca o contatou. "Insisto: ele não é nosso agente, no colaborou conosco e não estamos trabalhando com ele." 

Falando durante uma entrevista, Putin disse que o ex-técnico da CIA se considera um ativista, um "novo dissidente" e o comparou a Andrei Sakharov, físico nuclear russo que defendia as liberdades civis e ganhou o prêmio Nobel da Paz em 1975. / REUTERS

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.