Putin e Poroshenko iniciam diálogo sobre crise na Ucrânia

Líder russo diz que uso da força não resolve o conflito e presidente ucraniano pede fim do envio de insumos aos separatistas pró-Rússia

O Estado de S. Paulo

26 de agosto de 2014 | 10h55

MINSK - Os presidentes ucraniano, Petro Poroshenko, e russo, Vladimir Putin, se reuniram nesta terça-feira, 26, no início de um diálogo sobre a crise no leste da Ucrânia. O líder russo afirmou pede o fim do uso da força e Poroshenko quer que Moscou pare de fornecer insumos aos separatistas pró-Rússia.

Para o presidente ucraniano, os únicos instrumentos efetivos para acabar com o derramamento de sangue na região seriam o controle efetivo da fronteira com a Rússia, a interrupção do fornecimento de armas aos rebeldes e a libertação dos criminosos de guerra.

Poroshenko afirmou que ouvirá todas as opiniões na tentativa de alcançar a paz e acrescentou que todas as partes envolvidas querem sair com dignidade da crise no país. Putin ressaltou que a crise não pode ser resolvida com uma nova escalada militar ou sem diálogo com representantes do leste.

O presidente russo disse que a economia russa poderia sofrer perdas de 100 bilhões de rublos (US$ 2,77 bilhões) se as mercadorias europeias chegarem ao mercado russo via Ucrânia, o que pode acontecer após a assinatura de um acordo comercial entre Kiev e a União Europeia.

Caso isso ocorra, Putin declarou que Moscou irá retaliar com medidas comerciais e acrescentou que Belarus e Cazaquistão, parceiros da Rússia em uma união aduaneira, também serão incluídos. / REUTERS

Tudo o que sabemos sobre:
crise na UcrâniaRússiaUcrânia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.