Putin e Villepin pedem que Irã suspenda enriquecimento de urânio

O presidente russo, Vladimir Putin, e o primeiro-ministro francês, Dominique de Villepin, pediram hoje ao Irã que suspenda totalmente as atividades de enriquecimento de urânio. O regime de Teerã retomou ontem parte de suas atividades nucleares, que estavam suspensas, nas instalações de Natanz, perto da usina de Isfahan, na região central do país.O comunicado conjunto divulgado pelo Kremlin afirma: "Rússia e França pedem ao Irã que cumpra plenamente a resolução de fevereiro e as demandas do Conselho de Governadores da AgênciaInternacional de Energia Atômica (AIEA), incluindo a plena suspensão de toda atividade relacionada ao enriquecimento e processamento de urânio".A nota oficial emitida após o encontro entre Putin e Villepin acrescenta que ambos os países "reconhecem o direito legítimo do povo iraniano de desenvolver e empregar em seu benefício um programa energético nuclear seguro e estável em condições que garantam seu caráter pacífico".O comunicado ressalta que, quando o Irã dissipar as dúvidas da comunidade internacional, "abrirá o caminho à cooperação internacional necessária para desenvolver tal programa".Contudo, Moscou e Paris defenderam o início em breve de negociações sobre um tratado que proíba a produção de materiais físseis com fins militares e confirmaram seu respaldo à moratória que rege este terreno. "As partes instam todos os Estados a cooperar na luta contra a ameaça do terrorismo nuclear e radiológico" e destacam que o regime de não-proliferação nuclear é a "pedra angular do sistema de segurança multilateral".Putin e Villepin pediram a todos os Estados que cumpram suas obrigações dentro do Tratado de Não-Proliferação (TNP) de armas nucleares e do acordo com a AIEA sobre garantias. Os dois dirigentes exigiriam também a criação de medidas eficazes para evitar o tráfico ilegal de equipamentos, tecnologias e materiais nucleares.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.