Reuters
Reuters

Putin espera que não seja preciso pré-pagamento por gás

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, disse nesta quarta-feira esperar que Moscou não tenha que mudar para um sistema de pré-pagamento no fornecimento de gás natural para a Ucrânia.

AE, Agência Estado

28 Maio 2014 | 12h13

"Espero que não cheguemos à situação em que seremos forçados a mudar para pagamentos antecipados", disse Putin em uma reunião do governo, informou a agência de notícias Interfax. O presidente russo acrescentou que a cooperação de gás da Rússia com a Ucrânia não é apenas parceria, mas amizade.

Este mês Putin e a estatal de energia russa Gazprom disseram que a Rússia exigirá pagamento prévio da Ucrânia para o gás fornecido a partir de junho a menos que Kiev comece a pagar parte de sua dívida. O executivo-chefe da Gazprom, Alexei Miller, disse que a dívida ucraniana ultrapassará US$ 5,2 bilhões em 7 de junho, após a Rússia ter entregue o equivalente a US$ 1,7 bilhão em gás em maio.

Hoje Putin afirmou que, se a Ucrânia mantiver o acordo existente e pagar a dívida pelo gás que já recebeu, o governo russo irá reavaliar mudanças na cooperação de gás com a Ucrânia.

Na mesma reunião de governo, o ministro de Energia da Rússia, Alexander Novak, disse que a Ucrânia precisa pagar US$ 2 bilhões até 30 de maio e outros US$ 500 milhões até 7 de junho, de acordo com a Interfax. A Ucrânia reconhece em parte a dívida, mas afirma que a conta do mês passado deve ser calculada pelo preço antigo de US$ 268,50 por 1 mil metros cúbicos, em vez de pelo novo valor anunciado em abril de US$ 485,50 por 1 mil metros cúbicos. Fonte: Dow Jones Newswires.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.