Putin: EUA devem fornecer dados do sistema de defesa

O primeiro-ministro da Rússia, Vladimir Putin, disse hoje que seu país vai construir novas armas para se equiparar ao projeto norte-americano de um sistema de defesa de mísseis e pediu a Washington que compartilhe dados sobre seus escudos antimísseis sob o novo tratado de controle de armas.

AE-AP, Agencia Estado

29 de dezembro de 2009 | 15h17

As declarações de Putin, divulgadas no site do gabinete, estabelecem um tom desafiador e assinalam novas dificuldades nas conversações entre os dois países na negociação de um tratado que vai substituir o Tratado de Redução de Armas Estratégicas (Start), que expirou em 5 de dezembro. Moscou e Washington esperavam chegar a um acordo antes do final do ano, mas os problemas persistem.

Ele disse que as conversações sobre o controle de armas prosseguem de forma positiva e afirmou que o presidentes Dmitry Medvedev e Barack Obama irão, eventualmente, decidir como chegar a um acordo sobre as armas.

No entanto, Putin advertiu que um sistema de defesa de mísseis daria aos Estados Unidos uma margem e poderia prejudicar o poderio de defesa as forças nucleares russas. "O problema é que nossos parceiros americanos estão desenvolvendo defesas de mísseis e nós não estamos", disse Putin.

Obama removeu um obstáculo nas relações no início do ano, ao deixar de lado os planos do governo anterior de instalar um interceptador de mísseis na Polônia e um radar na República Checa, instrumentos que a Rússia considerava uma ameaça. O Kremlin elogiou Obama por sua decisão, mas funcionários russos também disseram que querem mais informações sobre os sistemas marítimos e terrestres que os Estados Unidos planejam instalar. Putin disse que a Rússia não tem intenção de construir um escudo antimísseis próprio, mas que vai desenvolver novas armas ofensivas para balancear um futuro sistema de defesa de mísseis dos Estados Unidos.

"Com o objetivo de preservar o equilíbrio, embora não planejemos construir um sistema de defesa de mísseis próprio já que é muito caro e sua eficiência não está clara, temos de desenvolver um sistema de ataque ofensivo", disse ele.

Putin acrescentou que os Estados Unidos devem compartilhar informações sobre seu projeto de defesa de mísseis se querem que a Rússia forneça dados sobre suas armas. "Eles deveriam nos dar todas as informações sobre o sistema de defesa de mísseis e estaremos prontos para fornecer algumas informações sobre nossas armas ofensivas", disse Putin.

A Rússia tem pressionado para que haja uma ligação explícita, sob o novo tratado, entre armas ofensivas e o sistema de defesa de mísseis. Um comunicado conjunto divulgado em julho por Medvedev e Obama ligava as condições, mas os Estados Unidos não devem aceitar qualquer restrição em seu sistema de defesa de mísseis.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.