Putin faz crítica velada a EUA e Grã-Bretanha

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, entrou nesta sexta-feira para o coro de países críticos da postura belicista dos Estados Unidos em relação ao Iraque, ao dizer que o aumento da agressividade por parte de "alguns países" acabou com o equilíbrio geopolítico do mundo.As declarações de Putin, feitas durante um encontro com militares de alta patente às vésperas de um importante feriado em homenagem às Forças Armadas da Rússia, vêm à tona apenas um dia depois de seu ministro das Relações Exteriores, Igor Ivanov, ter acusado Estados Unidos e Grã-Bretanha de tentarem pressionar os inspetores de armas da Organização das Nações Unidas (ONU) a encontrar um pretexto para o início de uma guerra contra o Iraque.As críticas da Rússia ao modo como George W. Bush, o presidente dos EUA, vem conduzindo a crise iraquiana aumentou nas últimas semanas, apesar de diplomatas e políticos norte-americanos acreditarem que, no fim, Moscou não se oporá a Washington em sua tentativa de obrigar Saddam Hussein a abdicar das armas de destruição em massa supostamente em seu poder."A situação geopolítica no mundo é muito complexa", comentou Putin, segundo a agência de notícias Interfax, durante cerimônia realizada no Kremlin para marcar o Dia do Defensor da Pátria, o antigo Dia do Exército Soviético, que será celebrado no domingo."O equilíbrio de forças foi evidentemente violado. A nova estrutura de segurança ainda não foi criada", disse Putin. "Porém, não podemos deixar de observar como motivo de preocupação o aumento da agressividade em forças influentes de alguns países do mundo, e a diminuição da efetividade das instituições que deveriam manter a segurança global e solucionar conflitos."Assim como Ivanov, Putin não citou Estados Unidos e Grã-Bretanha explicitamente, mas o contexto deixava claro que os dois países foram os alvos da declaração.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.