Putin fecha a Ossétia do Norte para caçar terroristas

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, ordenou o fechamento das divisas da região da Ossétia do Norte com outras partes do país, para que todos os envolvidos na tomada de mais de mil reféns numa escola da cidade de Beslan sejam identificados e detidos.Putin visitou Beslan hoje, um dia depois da invasão da escola por tropas russas. Mais de 300 reféns foram mortos. ?Mesmo comparado com os mais cruéis atentados do passado, este ato terrorista ocupa um lugar especial porque teve crianças como alvo?, disse.Ele destacou que não havia planos para invadir a escola, esquivando-se das críticas de que a ação militar levou ao massacre e alertou para o risco de uma escalada de ódio étnico na região do Cáucaso. ?Qualquer um que ceda a esse tipo de provocação será visto como um apoiador do terrorismo?, disse.Autoridades russas dizem que o banho de sangue teve início em explosões aparentemente deflagradas pelos terroristas - talvez por acidente - enquanto funcionários de resgate removiam corpos de reféns mortos da escola.Reféns aproveitaram a confusão para fugir e os terroristas abriram fogo contra eles. Ao mesmo tempo, forças de segurança e populares armados começaram a atirar de volta, para proteger os que fugiam. Nesse momento, as tropas não viram outra saída além de invadir a escola e tomar o prédio. Os terroristas tentaram fugir. Os tiroteios, na escola e pela cidade, duraram 10 horas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.