Putin garante investigação de mortes de jornalista e banqueiro

O presidente da Rússia, Vladimir Putin,assegurou nesta quarta-feira que as autoridades investigarão a fundo os recentesassassinatos da jornalista Anna Politkovskaya e o banqueiro AndreiKozlov. "A obrigação do Estado é investigar até o fim qualquerassassinato famoso, incluídos os de jornalistas e economistas",disse Putin, ao responder ao vivo pela televisão uma perguntadurante a tradicional "linha direta com o presidente". Putin afirmou que os assassinatos de Politkovskaya, crítica dalinha dura do Kremlin na Chechênia, e de Kozlov, vice-presidente doBanco Central que lutava contra a lavagem de dinheiro, têm a ver comsuas respectivas atividades profissionais. Sobre a morte de Kozlov, disse que ocorreu porque "o Estadocomeçou a combater com decisão os crimes econômicos e a perseguir osque procuram encher os bolsos à custa do bem-estar de milhões depessoas". Por outro lado, Putin considera que o assassinato dePolitkovskaya, morta a tiros no prédio onde morava, foi resultadodas lutas políticas. "Infelizmente, a luta política em nosso país não adquiriu formasmais suaves e civilizadas", disse Putin, que em sua primeira reaçãoà morte da jornalista tinha dito que sua morte "fez mais dano àRússia que suas publicações". O chefe do Kremlin confirmou que a polícia já deteve osassassinos de Kozlov e expressou a esperança de que também serãoachados os que encomendaram e cometeram outros homicídios. O líder russo afirmou que, segundo as estatísticas, o número deassassinatos por encomenda na Rússia diminuiu nos últimos anos,embora cada um destes atraia a atenção da imprensa e tenha amplarepercussão nacional e internacional.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.