Putin nega retorno ao passado soviético

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, negou que esteja levando a Rússia de volta para a era soviética e insistiu ver a democracia e a liberdade como essenciais para o futuro do país. "Uma década de reformas nos mostrou muita coisa", declarou Putin aos participantes de uma conferência de agências de notícias internacionais organizada pela russa Itar-Tass. Ele disse ainda que muitas interpretações sobre a atual situação do país estão baseadas em visões errôneas da Rússia atual. "Alguns não vêem quase nenhuma diferença entre a União Soviética e a Rússia moderna." Os comentários de Putin são uma resposta às críticas sobre seus planos de combater o terrorismo, incluindo medidas para a centralização do poder, como o fim das eleições diretas para governador e presidente e mudanças no sistema de escolha dos membros do Parlamento. O líder russo alegou que as ameaças terroristas não alteram seu compromisso com a democracia, mas em muitos casos requerem novos comportamentos por parte de todos, incluindo a imprensa, que, na sua opinião, não deveria permanecer como mera espectadora. "A comunidade da mídia deveria criar regras que a tornem um instrumento eficaz de combate ao terror," afirmou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.