Putin ordena criação de rede de bases navais no Ártico

Medida tem como objetivo, segundo o presidente russo, proteger instalações energéticas de 'terroristas'

22 de abril de 2014 | 14h10

MOSCOU - O presidente russo, Vladimir Putin, ordenou hoje a criação de uma rede unificada de bases navais nas costas do Ártico com o objetivo de defender os interesses russos na região, cujo controle é disputado também por outros países, até mesmo os Estados Unidos.

"Trata-se de criar um sistema unificado de bases navais para navios e submarinos de nova geração na nossa porção do Ártico", disse Putin, citado por agências de notícias russas.

Putin, que fez essas declarações durante uma reunião do Conselho de Segurança dedicada à política russa no Ártico, destacou a importância de "reforçar a infraestrutura militar" do país na região. "As instalações de extração de gás e petróleo, os terminais de carga e os oleodutos devem ser protegidos de maneira confiável dos terroristas e de outras ameaças potenciais", disse.

Entre outras coisas, mandou reforçar as unidades que garantem a segurança das fronteiras ao norte da Rússia, especialmente, por meio do fortalecimento dos destacamentos das guardas de fronteira do Serviço Federal de Segurança (FSB, o antigo KGB, na sigla em russo).

A Rússia já reabriu no ano passado a base militar situada nas ilhas de Novosibirsk, no Oceano Ártico, e prevê fazer o mesmo em outros portos e aeroportos fechados após a queda da Uniãom Soviética por falta de fundos. / EFE

Tudo o que sabemos sobre:
RússiaPutinVladimir PutinÁrtico

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.