Putin pede anulação da autorização para intervir na Ucrânia

Parlamento se reunirá quarta para analisar pedido do presidente russo; objetivo é incentivar o diálogo entre ucranianos e separatistas

O Estado de S. Paulo

24 de junho de 2014 | 08h27

MOSCOU - O presidente da Rússia, Vladimir Putin, pediu ao Parlamento nesta terça-feira, 24, que cancele a autorização de intervir militarmente na Ucrânia solicitada em março, informaram agências russas citando o Kremlin.

Segundo o porta-voz de Putin, Dimitri Peskov, Putin enviou uma carta a presidente do Senado, Valentina Matvienko, antes de uma viagem para Viena em visita oficial e o objetivo da decisão é "normalizar a situação" no país e incentivar as negociações entre forças ucranianas e separatistas pró-Rússia.

"O presidente propôs ao Conselho da Federação a anulação da resolução de 1.º de março que permitia recorrer ao Exército russo em território ucraniano", afirmou Peskov.

O Senado adiantou que se reunirá nesta quarta-feira para estudar a proposta do presidente. O pedido de intervenção militar havia sido solicitado após a destituição do presidente ucraniano Viktor Yanukovich.

A solicitação ocorre no momento em que a União Europeia advertiu poder aplicar novas sanções econômicas caso Moscou não contribua com o plano de paz apresentado pelo presidente ucraniano, Petro Poroshenko.

Trégua. Na noite de segunda-feira, autoridades ucranianas e separatistas pró-Rússia entraram em acordo sobre um cessar-fogo, que vai durar até as 10h do dia 27. O acordo foi alcançado na primeira conversa entre representantes de Kiev e líderes separatistas desde que começaram os confrontos. / AP e EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.