Alexey Nikolsky/Efe
Alexey Nikolsky/Efe

Putin perde poder na Rússia, indicam resultados

Partido do primeiro-ministro obteve 50% dos votos e perderá a maioria no Parlamento

MOSCOU, O Estado de S.Paulo

05 de dezembro de 2011 | 03h02

MOSCOU - O partido do primeiro-ministro russo, Vladimir Putin, venceu as eleições parlamentares de ontem, mas perdeu a maioria de dois terços que tinha na Duma (Parlamento). Com 65% da apuração concluída, o Rússia Unida obteve 50% dos votos. Em segundo vinham os comunistas, com 20%.

Assim, o Rússia Unida, de Putin, teve seu poder bastante reduzido. Segundo projeções, ele deve obter cerca de 220 dos 450 assentos no Parlamento, um pouco menos do que a maioria absoluta, o que obrigaria o Kremlin a negociar com adversários.

No entanto, o premiê, de 59 anos, continua sendo o homem mais popular do país. Ex-espião da KGB, ele venceu as eleições presidenciais de 2000 e foi reeleito em 2004 para outro mandato de quatro anos. Em 2008, proibido de concorrer novamente, ele criou o cargo de primeiro-ministro e elegeu o atual presidente, Dimitri Medvedev.

O líder do Rússia Unida, Boris Gryzlov, comemorou a vitória de ontem, mas não conseguiu esconder a frustração com a perda da hegemonia. "Estamos acompanhando e esperamos ter a maioria na Duma", disse. "Podemos dizer que o Rússia Unida continua sendo o partido majoritário."

O Partido Comunista, que deve dobrar seus votos em relação à última eleição, também festejou o resultado. "A Rússia tem uma nova realidade política, mesmo que eles mudem as regras", disse o deputado comunista Sergei Obukhov.

Para alguns eleitores, Putin já não tem mais o mesmo apelo de quatro anos atrás, quando fez o sucessor e manteve-se como homem forte do governo ao tornar-se premiê. Apesar de ter sido identificado com a recuperação da autoestima do país, especialmente após a queda da União Soviética, sua popularidade estaria sofrendo com a crise econômica e com a falta de liberdade e de transparência na política local.

 

No domingo, uma manifestante pró-Putin foi jogada em um rio em São Peterburgo, enquanto fazia campanha durante as eleições.

 

Veja vídeo:

 

  

 

A Rússia tem um total de 110 milhões de eleitores, mas o comparecimento em muitas áreas foi muito baixo. Na região do Pacífico, extremo leste da Rússia, e na Sibéria cerca de 45% das pessoas habilitadas votaram. A participação foi um pouco maior nos centros urbanos, como Moscou e São Petersburgo. / REUTERS e AP

Tudo o que sabemos sobre:
PutinRússiaeleições

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.