Sergei Karpukhin/Reuters
Sergei Karpukhin/Reuters

Putin põe crise síria no topo da agenda do G-20

Presidente russo deve se encontrar com Obama para discutir a iminente intervenção militar

O Estado de S. Paulo,

05 de setembro de 2013 | 12h08

SÃO PETERSBURGO - Anfitrião da cúpula do G-20 em São Petersburgo, o presidente russo, Vladimir Putin, colocou a crise síria no topo da agenda da reunião entre as 20 maiores economias do mundo.

"Vários dos participantes (da cúpula) me pediram que se dê a possibilidade de discutir temas muito importantes e graves da política internacional que não figuravam em um primeiro momento na programação - em particular, a situação da Síria", disse Putin. Ele deverá se encontrar ainda hoje com seu colega americano, Barack Obama, para discutir a iminente operação militar de Washington na Síria.

O presidente russo afirmou que só apoiará uma intervenção que passe pelo Conselho de Segurança das Nações Unidas. Caso contrário, disse, a ofensiva americana contra Damasco será "uma agressão".

O emissário das Nações Unidas e da Liga Árabe para a crise síria, o argelino Lakhdar Brahimi, participará da reunião em São Petersburgo, a pedido do secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon. Autoridades da União Europeia, incluindo o presidente do Conselho Europeu, Herman Van Rompuy, afirmaram que "não há solução militar" para o problema sírio, mas repudiaram os supostos ataques químicos das forças do ditador Bashar Assad, no mês passado./ REUTERS e AP

 
Mais conteúdo sobre:
SíriaVladimir PutinRússia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.