Putin promete ajuda a regiões rebeldes e irrita Geórgia

O premiê russo, Vladimir Putin, prometeu ontem US$ 500 milhões para defender a região separatista da Abkázia. A promessa foi feita durante uma visita ao enclave que, segundo a Geórgia, inflamou as tensões no Cáucaso.A visita de Putin reforça a intensa presença de Moscou nas duas regiões rebeldes da Geórgia: Abkázia e Ossétia do Sul. Em agosto de 2008, tropas russas frustraram uma tentativa dos georgianos de retomar o território ossétio.As tensões vêm aumentando ao longo das fronteiras das duas regiões separatistas com a Geórgia, aumentando temores de um novo conflito. "A Rússia reconheceu a independência da Abkázia e fornecerá amplo apoio econômico, político e, se preciso for, militar", disse Putin. "A Abkázia não necessita de nenhum outro reconhecimento, exceto o da Rússia."Somente a Nicarágua acompanhou os russos no reconhecimento da Abkázia e da Ossétia do Sul como Estados independentes, enquanto o restante do mundo vê os enclaves como parte da Geórgia.PROVOCAÇÃOO governo georgiano disse que a viagem de Putin à região foi um desafio direto, que provocaria uma escalada das tensões no Cáucaso - uma rota-chave para os fluxos de petróleo e gás da Ásia Central."A visita de Putin ao território ocupado de um país soberano é mais uma provocação", comentou a chancelaria da Geórgia. "Foi uma tentativa de desestabilizar a situação e elevar a tensão no Cáucaso."No mês passado, a União Europeia criticou a visita do presidente russo, Dmitri Medvedev, à Ossétia do Sul e disse que apoiava a integridade territorial da Geórgia. Ontem, além do anúncio de US$ 500 milhões para a defesa das duas regiões, Putin disse também que a Rússia gastaria outros US$ 340 milhões para reconstruir a infraestrutura da região. Questionado sobre uma nova guerra, o premiê aproveitou para atacar o governo georgiano. "Com os líderes da Geórgia de hoje, não se pode descartar nada".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.