Putin se declara contra pena de morte

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, expressou nesta segunda-feira forte oposição à pena de morte. De acordo com ele, o país não deve retomar as execuções, apesar do apoio público à pena capital. "O Estado não deve reinvindicar o direito de tirar uma vida. Isto pertence apenas ao Todo-Poderoso", disse Putin após uma reunião no Kremlin com o presidente do Banco Mundial, James Wolfensohn, publicaram as agências de notícias Interfax e ITAR-Tass. A Rússia introduziu uma moratória na pena de morte em 1996, como condição para sua entrada no Conselho da Europa, principal organismo de defesa dos direitos humanos do continente. Moscou não baniu por completo a pena de morte.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.