Putin sugere quebra do monopólio da Gazprom, diz FT

Caso quebra do monopólio ocorra, principal beneficiada deve ser a estatal Rosneft

ALEXANDRE DALLARA, Agência Estado

22 de julho de 2014 | 13h53

O presidente da Rússia Vladimir Putin sugeriu nesta segunda-feira que o governo analise a quebra do monopólio da Gazprom para exportação de gás a partir de novos campos de extração na Sibéria, informou o Financial Times. A decisão não deve sair antes de setembro, de acordo com a reportagem.

Caso o monopólio seja quebrado, a principal beneficiada deve ser a estatal Rosneft, que pode participar do acordo de US$ 400 bilhões em exportações de gás para a China, explica o jornal. A empresa poderia ser incluída também no projeto de construção de um gasoduto para ligar o leste da Sibéria ao país asiático, avaliado em US$ 55 bilhões. A produtora Surgutneftegaz, que possui novas plantas de gás na região, também é uma potencial beneficiada.

Segundo a reportagem, o movimento de Putin demonstra uma virada em direção à Ásia, seguindo a mesma linha do acordo com a China, assinado em maio. O documento prevê a venda de 38 bilhões de metros cúbicos do combustível nos próximos 30 anos, com um preço sugerido de US$ 350 por mil metros cúbicos. A Gazprom tenta manter o controle sobre o gasoduto da Sibéria com o argumento de que será a responsável pelos investimentos na construção.

Tudo o que sabemos sobre:
RússiagásChina

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.