Putin visita Volgograd e pede reforço da segurança

O presidente russo, Vladimir Putin, fez uma visita nesta quarta-feira à cidade de Volgograd, que se recupera de dois atentados a bomba nesta semana, em um gesto de solidariedade às vítimas. Ele ainda questionou as autoridades a quem havia ordenado reforçar a segurança.

Agência Estado

01 de janeiro de 2014 | 09h29

Os bombardeios na principais estação ferroviária de Volgograd e em um trólebus da cidade deixaram 34 mortos e muitos feridos, dos quais 65 estão hospitalizados. Nenhum grupo reivindicou a responsabilidade por qualquer um dos ataques. Ambos ocorreram alguns meses após o líder da insurgência islâmica no sul da Rússia ter convocado atentados durante as preparações para os Jogos Olímpicos de Inverno na cidade de Sochi.

"O que quer que tenha motivado essas ações criminosas, não há justificativa para cometer crimes contra civis, especialmente contra mulheres e crianças", disse Putin antes de uma reunião em Volgograd com autoridades do Serviço Federal de Segurança e do Ministério de Interior.

Ele afirmou que pedirá às autoridades detalhes sobre quais medidas estão sendo tomadas para aumentar a segurança no país. Depois disso, o presidente russo colocou um buquê na pilha de flores, balões e outros itens comemorativos que se encontrava no local em que o trólebus foi bombardeado. Ele também visitou o hospital em que alguns dos feridos estão sendo tratados.

Volgograd, que tem cerca de 1 milhão de habitantes, esteve sob forte segurança desde os ataques. Tropas paramilitares e reforço policial foram enviados à cidade. Autoridades locais cancelaram as celebrações de Ano Novo e fecharam alguns cinemas até quinta-feira. Fonte: Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
RÚSSIAPUTINVISITA

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.