Pyongyang aceitou acordo

Na semana passada, a Coreia do Norte concordou em suspender seus testes nucleares, além do enriquecimento de urânio, e finalmente permitir a volta dos inspetores internacionais em suas instalações atômicas. Os compromissos foram alcançados em um acordo com os EUA que, em contrapartida, fornecerão 240 mil toneladas de alimento aos norte-coreanos.

O Estado de S.Paulo

11 de março de 2012 | 03h04

Os dois países negociaram o pacto na China. A Coreia do Sul, aliada dos EUA, foi mantida fora da mesa de diálogo - uma exigência de Pyongyang.

O pacto pode pôr fim a anos de um impasse que permitiu aos norte-coreanos prosseguirem com seu programa nuclear livre de controles externos. O governo Barack Obama qualificou os novos passos como "importantes, mas limitados". As autoridades americanas destacaram que o avanço poderá começar a desatar o nó do programa norte-coreano dois meses após a morte do ditador Kim Jong-il.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.