Pyongyang cancela reunião sobre naufrágio com ONU

As Forças Armadas da Coreia do Norte cancelaram de forma abrupta hoje um encontro com o Comando das Nações Unidas encabeçado por militares norte-americanos. A reunião havia sido marcada para que ocorresse um diálogo a respeito do naufrágio de um navio sul-coreano, que segundo Seul foi causado por Pyongyang. Seria a primeira reunião entre as partes desde o incidente, que causou grande tensão entre as duas Coreias.

AE-AP, Agência Estado

13 de julho de 2010 | 11h07

Militares norte-coreanos e do comando da Organização das Nações Unidas (ONU) deveriam se reunir no povoado fronteiriço de Panmunjom na manhã de hoje para tratar do naufrágio que deixou 46 marinheiros sul-coreanos mortos. A Coreia do Norte pediu que a reunião fosse adiada citando "razões administrativas". O país não propôs uma nova data para o encontro, informou o comando da ONU, em comunicado.

Em maio, uma investigação internacional liderada por Seul determinou que um submarino norte-coreano disparou o torpedo que afundou no fim de março o navio Cheonan, de 1.200 toneladas, perto da tensa fronteira marítima entre os dois países. Pyongyang nega responsabilidade no caso e advertiu que qualquer sanção recebida por esse motivo irá causar uma guerra. O Comando da ONU supervisiona o armistício que encerrou a Guerra da Coreia, em 1953.

Tudo o que sabemos sobre:
CoreiastensãonaufrágioONUreunião

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.