Pyongyang convida ONU para monitorar fechamento de reator

Norte-coreanos convocam inspetores nucleares após início da transferência do dinheiro retido em Macau, precondição para o desarmamento nuclear do país

Agencia Estado

19 Junho 2007 | 11h05

A Coréia do Norte enviou neste sábado, 16, uma carta às Nações Unidas, convidando seus inspetores nucleares para discutir e monitorar o fechamento de seu principal reator nuclear, segundo a mídia estatal. A carta enviada a Agência Internacional de Energia Atômica, a AIEA, diz que "uma delegação da AIEA foi convidada para visitar (a Coréia do Norte) assim que confirmado que o processo de descongelamento dos fundos (norte-coreanos) no Banco Delta Ásia de Macau atingir sua fase final", anunciou a Agência Central de Notícias Norte-coreana, a KCNA. Os inspetores foram convocados para "discutir os procedimentos de verificação da AIEA e monitorar" o fechamento do reator de Yongbyon, afirmou a KCNA. O enviado nuclear norte-americano, Christopher Hill, disse que os fundos da Coréia do Norte já estão na Rússia, mas problemas técnicos estão atrasando a transferência para contas do país. Devido a este empecilho, Hill afirma que as próximas rodadas de diálogos sobre o desarmamento nuclear de Pyongyang só serão efetuadas no começo de julho. A Coréia do Norte recusou a atender o pedido de desarmamento, negociado em fevereiro, enquanto não tivesse acesso aos US$ 25 milhões retidos em um banco de Macau - incluído em lista negra dos EUA. Os americanos acusam o Banco Delta Ásia de ajudar o governo de Pyongyang a passar notas falsas de US$ 100 e lavar dinheiro para compra de armas. O processo de desarmamento nuclear norte-coreano de um passo significativo nesta semana, quando os fundos começaram finalmente a serem transferidos para um banco russo. Os norte-coreanos repetidamente afirmam que só cessam as atividades nucleares quando a transação for completamente realizada. Ampliada às 09h37.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.