Pyongyang encerra parcialmente programa atômico até 2008

China garante que Coréia do Norte segue com desmantelamento se países cumprirem acordo de ajuda

Efe,

25 de dezembro de 2007 | 15h45

O governo da China garantiu nesta terça-feira, 25, que a maior parte do desmantelamento do arsenal nuclear norte-coreano estará completa antes do Ano Novo, acrescentando que Pyongyang só continuará com o processo se receber em troca a ajuda combinada. O porta-voz do Ministério de Assuntos Exteriores da China, Qin Gang, afirmou que os seis países que participam da negociação (as duas Coréias, Estados Unidos, Japão, Rússia e China) continuam conversando para garantir a implantação do acordo firmado em outubro. O documento prevê que a Coréia do Norte declare todas as instalações nucleares que possui e desarticule sua central de Yongbyon antes do final de 2007 em troca de um milhão de toneladas de petróleo pesado e de concessões políticas. Parte da ajuda já foi recebida pela Coréia do Norte, mas a desarticulação de Yongbyon somente será levada adiante caso o país receba tudo o que foi previsto no acordo. O porta-voz chinês informou em entrevista coletiva que "os compromissos adotados pelos outros países também estão sendo levados adiante". Na última semana Pyongyang voltou a negar a acusação, feita por Washington, de que a Coréia do Norte realiza um programa secreto de enriquecimento de urânio, o que em 2003 deu início a uma crise. Em outubro de 2006 foi realizado o primeiro teste nuclear norte-coreano da história.

Tudo o que sabemos sobre:
Coréia do Norteprograma nuclear

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.