South Korea Defense Ministry via AP
South Korea Defense Ministry via AP

Pyongyang estaria preparando um novo lançamento de míssil, alerta Coreia do Sul

Ministério de Defesa sul-coreano disse que indícios para a ação ‘foram detectados constantemente desde o teste de domingo’; anúncio foi feito pouco depois de Seul realizar um exercício com mísseis balísticos

O Estado de S.Paulo

04 Setembro 2017 | 10h53

SEUL - A Coreia do Norte pode estar preparando um novo lançamento de míssil, afirmou o Ministério de Defesa sul-coreano nesta segunda-feira, 4, um dia depois de Pyongyang anunciar o "sucesso" de um teste nuclear e reivindicar a posse de uma bomba H

Indícios de que a Coreia do Norte "prepara um novo disparo de míssil balístico foram detectados constantemente desde o teste de domingo", afirmou o Ministério. O Conselho de Segurança da ONU se reunirá nesta segunda-feira para discutir novas sanções contra o regime.

O ministro sul-coreano da Defesa, Song Young-Moo, disse ainda que seu país acredita que a Coreia do Norte miniaturizou com sucesso uma arma nuclear para que seja instalada em uma ogiva. "Acreditamos que entra em um míssil balístico intercontinental", declarou aos deputados no Parlamento, depois do mais potente teste nuclear realizado por Pyongyang até o momento.

Em resposta à ação norte-coreana, Seul e Washington reforçarão o escudo de defesas antimísseis (THAAD) já instalado na Coreia do Sul, informou a pasta. "Muito em breve serão deslocados temporariamente outros quatro lançadores restantes, após consultas entre Coreia do Sul e EUA, para contra-atacar as crescentes ameaças nucleares e de mísseis procedentes do Norte", acrescentou.

O anúncio foi feito algumas horas depois de a Coreia do Sul realizar um exercício com mísseis balísticos em resposta ao teste nuclear norte-coreano de domingo. No treinamento, foram utilizados "mísseis balísticos sul-coreanos do tipo Hyunmoo e caças F-15K". O alcance dos alvos simulados foi equivalente à distância da área de testes nucleares norte-coreana Punggye-ri, na região nordeste do país.

No domingo, em uma conversa com o primeiro-ministro do Japão, Shinzo Abe, o presidente americano Donald Trump disse que está pronto para usar sua capacidade nuclear se a Coreia do Norte continuar ameaçando seu território ou seus aliados.

“O presidente Trump reafirmou o compromisso dos EUA para defender nossa pátria, territórios e aliados, usando todas as opções diplomáticas, convencionais e nossa capacidade nuclear disponível" afirma um comunicado divulgado pela Casa Branca.

Potência

De acordo com a Coreia do Norte, o sexto teste do país usou uma bomba de hidrogênio e foi o mais potente de Pyongyang. O regime comunista anunciou que o artefato é suficientemente pequeno para ser montado em um míssil intercontinental.

Em julho, a Coreia do Norte testou, duas vezes e com sucesso, um míssil balístico intercontinental (ICBM), o que deixaria o território americano ao alcance de um ataque norte-coreano. Seul afirmou que a potência do teste nuclear de Pyongyang foi estimada em 50 quilotons, cinco vezes mais que o último teste nuclear realizado em setembro de 2016 e três vezes mais que a bomba americana que destruiu a cidade japonesa de Hiroshima em 1945. / AFP e REUTERS

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.