Pyongyang não lava dinheiro no banco Delta Asia, diz Macau

As autoridades de Macau consideram legais os US$ 24 milhões que o regime norte-coreano mantém no Banco Delta Asia (BDA), congelados por causa de uma acusação apresentada pelos Estados Unidos de lavagem de dinheiro, informou nesta quinta-feira, 1, o jornal sul-coreano JoongAng Ilbo.Para Washington, pelo menos metade dos fundos saiu de atividades ilegais que serviram para financiar o programa nuclear de Pyongyang.Em setembro de 2005, as autoridades de Macau congelaram US$ 24 milhões de dólares de companhias norte-coreanas em cerca de 50 contas do BDA, entidade acusada pelos EUA de lavar dinheiro.Segundo um alto funcionário do banco, citado pelo jornal sul-coreano, as autoridades financeiras de Macau não encontraram evidências de ilegalidade nas contas, após um estudo de três meses iniciado em novembro de 2005."Mantemos a nossa opinião", disse o funcionário do BDA. Ele explicou que o resultado do estudo foi comunicado a uma delegação americana, chefiada pelo subsecretário do Tesouro adjunto para a luta contra o terrorismo e crimes financeiros, Daniel Glaser.De acordo com a mesma fonte, a maioria dos fundos norte-coreanos congelados no BDA saiu de um banco chinês, do britânico HSBC, em Hong Kong, e do Deutsche Bank alemão. Eles estão depositados em euros e dólares de Hong Kong.A instituição não encontrou vestígios de atividades ilícitas nos fundos, depois de transferidos. Mas não sabe que características tinham nos bancos anteriores.Segundo o jornal sul-coreano, o BDA deve apresentar um requerimento judicial se as autoridades americanas mantiverem a acusação de lavagem de dinheiro, após a liberação dos fundos norte-coreanos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.