Reuters
Reuters

Pyongyang pede a estrangeiros que saiam da Coreia do Sul

Governo da Coreia do Norte afirmou que região está à beira de um 'conflito termonuclear impiedoso, sagrado e retaliatório'

O Estado de S. Paulo

09 de abril de 2013 | 10h43

Em um novo capítulo na guerra de palavras na Península Coreana, Pyongyang afirmou nesta terça-feira, 9, que os estrangeiros que estão no Sul devem ir embora, pois a região está à beira de um “conflito termonuclear impiedoso, sagrado e retaliatório". Do outro lado, a presidente da Coreia do Sul, Park Geun-hye, prometeu que "não sucumbirá à chantagem" norte-coreana.

Analistas, entretanto, consideram altamente improvável a hipótese de uma nova guerra entre as Coreias. O objetivo da ditadura de Kim Jong-un seria ampliar a pressão sobre Washington e Seul para conseguir uma negociação sobre seu programa nuclear e a economia nacional em melhores termos.

Tudo o que sabemos sobre:
PyongyangCoreia do NorteCoreia do Sul

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.