Pyongyang pede que Seul 'respeite' morte de Kim Jong-il e critica vizinho ao sul

O governo da Coreia do Norte pediu ao Sul que "mostre respeito" pela morte de Kim Jong-il, afirmando que a decisão de Seul de não enviar uma delegação governamental para o enterro do líder do país, na semana que vem, foi "um insulto intolerável e uma zombaria da dignidade" dos norte-coreanos. A declaração, feita pelo site do governo na internet, foi o primeiro comentário oficial desde a morte de Kim. "As autoridades do Sul devem pensar no grave impacto que suas ações terão nas relações com o Norte", afirmou o comunicado. "Dependendo do que eles (Sul) façam, as relações podem ser descongeladas ou arruinadas completamente." O Norte também criticou o Sul por ter elevado o nível de alerta de seu Exército. A Coreia do Sul, que não enviará nenhum representante do governo para o funeral, só autorizou duas delegações a viajar para Pyongyang: a família do ex-presidente sul-coreano Kim Dae-jung e a presidente do grupo industrial Hyundai com sua família.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.