Pyongyang quer desculpas de Seul após 'ato provocativo'

A Coreia do Norte divulgou nota, por intermédio da mídia estatal do país, em que exige de Seul um pedido de desculpas pelo incidente no Mar Amarelo, qualificado por Pyongyang como um ato provocativo por parte da armada sul-coreana. Segundo o governo norte-coreano, um "objeto não identificado" foi avistado na água quando sua embarcação regressava a uma base, mas "um grupo de navios de guerra da Coreia do Sul a perseguiu e perpetrou a grave provocação de abrir fogo".

AE, Agencia Estado

10 Novembro 2009 | 11h06

O presidente da Coreia do Sul, Lee Myung-bak, depois de uma reunião com assessores, orientou o Exército a agir com firmeza, mas mantendo a calma para impedir que a situação venha a piorar, informou a assessoria de imprensa do chefe de Estado. O primeiro-ministro, Chung Un-chan, acusou a embarcação norte-coreana de ter promovido "um ataque direto" contra o barco de patrulha sul-coreano, mas admitiu a possibilidade de o episódio ter sido "acidental".

O incidente ocorre a apenas nove dias antes de o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, chegar à Coreia do Sul como parte de uma viagem pela Ásia. Até a noite de hoje, pelo horário local, não havia indícios quanto a uma possível escalada do incidente, apesar de os dois países terem apresentado relatos divergentes sobre o ocorrido e protestado verbalmente um contra o outro.

Incidente

Embarcações das Coreias do Norte e do Sul trocaram tiros nesta manhã perto dos limites marítimos entre os dois países no Mar Amarelo, informaram os governos dos dois países. A troca de tiros, aparentemente iniciada por um disparo de advertência efetuado pela embarcação sul-coreana, durou cerca de dois minutos. Não há informações sobre vítimas.

De acordo com os relatos disponíveis, uma patrulha naval sul-coreana teria causado extensos danos a uma embarcação militar da Coreia do Norte durante a troca de tiros em mar aberto. Militares sul-coreanos disseram que o barco norte-coreano entrou em águas territoriais da Coreia do Sul e avançou por cerca de 1,5 quilômetro.

Segundo as fontes, antes de efetuar um disparo de advertência, a embarcação sul-coreana teria emitido cinco mensagens para que os norte-coreanos retornassem. O barco da Coreia do Norte então teria respondido com uma barragem de artilharia. O confronto começou às 11h28 locais de hoje perto da ilha de Daechong e durou cerca de dois minutos.

Esta foi a primeira vez em sete anos em que embarcações das Coreias do Norte e do Sul se engajaram nesse tipo de ato hostil. Trata-se também do primeiro episódio de violência entre os dois países em um ano no qual Pyongyang provocou agitação em Seul e outras capitais por conta de seu programa nuclear.

Linha Limítrofe

A fronteira marítima, conhecida como Linha Limítrofe Norte, foi cenário de batalhas navais com mortes em 1999 e em 2002 e tem sido um constante foco de tensão. No mês passado, a Marinha da Coreia do Norte acusou a Coreia do Sul de enviar navios de guerra para cruzar a fronteira e advertiu que as provocações poderiam causar confrontos armados. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.