Pyongyang reabre fronteira a trabalhadores sul-coreanos

A Coreia do Norte reabriu sua fronteira aos trabalhadores sul-coreanos de um distrito industrial mantido conjuntamente com a Coreia do Sul, um dia depois de tê-la fechado em protesto contra um exercício militar realizado no país vizinho. "As viagens de pessoas e veículos através da fronteira de e para o complexo industrial de Kaesong voltaram ao normal", comunicou hoje o porta-voz do Ministério da Unificação da Coreia do Sul, Kim Ho-nyoun. Ontem, o Norte anunciou que estava desligando as linhas de fax e de telefone usadas para autorizar as passagens pela fronteira. A medida foi uma represália ao exercício militar realizado pela Coreia do Sul e pelos Estados Unidos, considerados pelo governo norte-coreano como preparativo para uma invasão. A decisão isolou 80 sul-coreanos que pretendiam voltar ontem de Kaesong, um distrito industrial conjunto financiado pela Coreia do Sul um pouco ao norte da fronteira como símbolo de cooperação. A reabertura deve aliviar um pouco as tensões entre os dois países, um dia depois de a Coreia do Norte ter colocado de prontidão suas Forças Armadas de 1,2 milhão de soldados, como resposta ao treinamento militar.Também ontem, Pyongyang advertiu que poderia deflagrar uma guerra se houvesse qualquer tentativa de bloquear o que os norte-coreanos garantem ser o lançamento de um satélite. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.