Pyongyang rejeita proposta sul-coreana de negociações

A Coréia do Norte rejeitou hoje uma proposta da Coréia do Sul para retomar as paralisadas negociações para reconciliação. A Coréia do Sul, por sua vez, denunciou o regime comunista por ter matado a tiros uma turista sul-coreana em um resort perto da fronteira. O principal jornal norte-coreano, o Rodong Sinmun, afirmou que a proposta do presidente da Coréia do Sul, Lee Myung-bak, de retomar as conversas já não é mais considerável. A tentativa sul-coreana foi chamada de "tática enganosa" que pretende evitar tomar responsabilidade pela deterioração dos laços entre as duas naçõesA crítica foi mais um sinal do rompimento das relações entre as duas Coréias. O porta-voz da presidência da Coréia do Sul, Lee Dong-kwan, declarou que "não é apropriado" para a Coréia do Norte criticar a proposta sul-coreana. A Coréia do Sul está pedindo que especialistas de seu país possam participar das investigações sobre a morte da turista. "Se uma investigação sobre esse trágico incidente não for feita, será jogado um balde de água fria nas expectativas por um progresso nas relações entre o Norte e o Sul", disse o ministro da Unificação da Coréia do Sul em um comunicado. O governo sul-coreano suspendeu as viagens para o resort onde a turista foi morta.No entanto, Pyongyang está se recusando a cooperar em uma investigação, argumentando que a mulher de 53 anos ignorou o alerta de um soldado e tentou fugir. As autoridades de turismo da Coréia do Norte pediram que a Coréia do Sul se desculpe pela interrupção das viagens. As tensões entre as duas Coréias aumentaram desde que Lee Myung-bak, conservador pró-Estados Unidos, tomou posse como presidente sul-coreano. Seu governo tem criticado abusos sobre direitos humanos na Coréia do Norte e não tem oferecido ajuda incondicional ao vizinho empobrecido, uma grande diferença em relação aos líderes liberais sul-coreanos da última década.A Guerra da Coréia, entre 1950 e 1953, terminou com um cessar-fogo e não com um tratado de paz, o que deixou os dois lados tecnicamente ainda em guerra. As relações entre as Coréias ficaram significativamente melhores depois de sua primeira reunião, em 2000, mas o processo de reconciliação tem sido freqüentemente atrapalhado por tensões em relação ao programa nuclear da Coréia do Norte.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.