Pyongyang teria míssil capaz de atingir os EUA

A Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) denunciou nesta quarta-feira a Coréia do Norte ao Conselho de Segurança (CS) da Organização das Nações Unidas (ONU), afirmando que o país comunista violou seus compromissos internacionais ao retomar seu programa nuclear. Já a CIA (Agência Central de Inteligência) advertiu que Pyongyang tem uma ou duas armas nucleares e um míssil, não testado, com capacidade para atingir a costa oeste dos Estados Unidos.A junta da AIEA, de 35 países, tomou a decisão em uma reunião de emergência na sede da agência em Viena. Rússia e Cuba abstiveram-se de votar na resolução, que abre o caminho para o CS da ONU impor sanções contra a Coréia do Norte, apesar de ela ter advertido que as sanções seriam interpretadas como uma declaração de guerra. A Rússia considerou a "medida prematura e um passo contraproducente" e Cuba pediu uma "solução negociada" para o conflito.Desde dezembro, Pyongyang expulsou os inspetores da AIEA de sua central nuclear de Yongbyon e abandonou o Tratado de Não-Proliferação Nuclear.A AIEA esclareceu que não tem como verificar se houve desvio de material nuclear para a fabricação de armas.O comissário de Segurança e Política Externa da União Européia, Javier Solana, disse hoje que a imposição de sanções da ONU poderá prolongar o impasse. Ele também anunciou que a UE enviará "o quanto antes" uma delegação mediadora de alto nível à Coréia do Norte para ajudar na busca de uma solução pacífica.A Casa Branca saudou a condenação do programa nuclear norte-coreano, mas defendeu a busca de uma "solução multilateral". Segundo o porta-voz presidencial, Ari Fleischer, a medida é uma "clara indicação de que a comunidade internacional não aceitará um programa nuclear da Coréia do Norte".O diretor da CIA, George Tenet, disse hoje à Comissão dos Serviços Armados do Senado que a Coréia do Norte tem uma ou duas armas nucleares e um míssil capaz de atingir a costa oeste dos EUA.O vice-almirante Lowell Jacoby, diretor da Agência de Inteligência da Defesa, disse, no entanto, que o míssil intercontinental, uma versão de três estágios do Taepo Dong 2, ainda não foi testado, deixando algumas dúvidas sobre a capacidade da Coréia de lançar esse míssil com sucesso.Ainda hoje, a Grã-Bretanha rejeitou um pedido da Coréia do Norte para usar sua relação especial com os EUA e convencer Washington a dialogar com Pyongyang sobre a crise. O apelo de Pyongyang foi acompanhado da ameaça de que irá retaliar qualquer ataque dos EUA.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.