Qantas detecta vazamentos e suspende voos com A380

Empresa australiana encontra falhas em frota; na sexta, turbina de Airbus explodiu durante voo

BBC

08 de novembro de 2010 | 09h00

Airbus 380 da Qantas permanecem sem operar por decisão da companhia aérea.

 

SYDNEY - A companhia aérea australiana Qantas suspendeu nesta segunda-feira, 8, os voos de todos os seus seis aviões Airbus A380 por pelo menos outros três dias depois de descobrir vazamento de óleo em três turbinas.

O diretor-executivo da companhia, Alan Joyce, disse que vazamentos desse tipo seriam inesperados em turbinas com apenas dois anos de uso. "Estas são turbinas novas em aeronaves novas e elas não deveriam apresentar estes problemas neste momento", afirmou Joyce à emissora Australian Broadcasting Corporation. As turbinas do Airbus são fabricadas pela empresa britânica Rolls-Royce.

Na quinta-feira da semana passada, um Airbus A380 da Qantas teve que fazer um pouso forçado em Cingapura depois da explosão de uma de suas turbinas. Foi o mais grave incidente envolvendo o A380, o maior avião para passageiros do mundo, em seus três anos de operação.

O voo levava 430 passageiros e 26 tripulantes a bordo, e todos saíram ilesos. O episódio levou a companhia a tirar de circulação os seis aviões A380 de sua frota - e a causar transtornos para vários passageiros.

De acordo com o correspondente da BBC em Sydney Nick Bryant, cerca de 1,3 mil passageiros da Qantas tiveram que permanecer em Los Angeles devido à suspensão dos voos da companhia com os A380.

O diretor-executivo da companhia afirmou que as investigações sobre os problemas nas aeronaves estão progredindo e sua resolução será uma "questão de dias, e não semanas". "Mas, vamos levar o quanto for preciso para ficamos absolutamente certos de que as aeronaves são seguras para voos", acrescentou.

 

BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Tudo o que sabemos sobre:
AirbusA380AustráliaQantasaviação

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.