Qualquer estímulo à economia deve ser substancial, diz Greenspan

O presidente do Federal Reserve, Alan Greenspan, disse hoje ao Comitê de Finanças do Senado dos EUA que qualquer legislação para incentivar a economia deve ser substancial - talvez, totalizando até US$ 100 bilhões ou 1% do PIB - para que provoque impacto sobre a economia. O encontro com o comitê foi fechado e as informações foram relatadas por fontes presentes ao encontro. Greenspan enfatizou que não defendia um aspecto em particular do programa, mas que qualquer decisão para dar prosseguimento à questão deveria envolver um pacote significante de estímulo. A fonte disse ainda que Greenspan continua a acreditar que o Congresso deveria aguardar até a divulgação de novos indicadores sobre a economia antes de tomar qualquer decisão sobre tal pacote. No encontro com o comitê bipartidário estavam ainda presentes Robert Rubin, ex-secretário do Tesouro dos EUA e atualmente executivo do primeiro escalão do Citigroup. O atual secretário do Tesouro norte-americano, Paul O´Neill, foi convidado para o encontro mas não pôde comparecer, informou o senador democrata Max Baucus. O senador Baucus e o republicano Charles Grassley disseram que Greenspan e Rubin destacaram que qualquer estímulo econômico deveria conter previsões de curto prazo e que os legisladores deveriam manter-se atentos sobre o impacto do pacote nas taxas de juro no longo prazo. Os senadores disseram que o encontro não teve como intenção o fechamento de uma conclusão sobre a forma do pacote de estímulo, tampouco sobre quando deveria ser implementado. As informações são da agência Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.