Quarenta morrem em ataques tribais no sul do Sudão

Nos ataques tribais registrados em várias áreas da região cerca de 60 pessoas ficaram feridas

Efe,

29 de agosto de 2009 | 09h37

Quarenta pessoas morreram e outras 60 ficaram feridas nos ataques tribais registrados em várias áreas da região autônoma do sul do Sudão, informaram neste sábado, 29, fontes governamentais da província meridional de Yonkeli.

 

Segundo declarou à imprensa o governador de Yonkeli, Kauak Minaq, um grupo de homens armados pertencentes à tribo Lanuer, atacou na sexta-feira a localidade de Bayam Rinual, onde matou 37 civis, e levaram cabeças de gado e alimentos.

 

Nesse ataque, cerca de 60 pessoas ficaram feridas, disse Minaq, que precisou que, entre as vítimas fatais, há sete combatentes do Exército Popular de Libertação do Sudão (EPLS), que controla o sul do país.

 

Além disso, a mesma tribo lançou ontem uma agressão contra as áreas de Arnulo e Duketib Babur, também no sul, onde mataram outras duas pessoas e um membro do EPLS.

 

Minaq pediu que a ONU e as organizações humanitárias intervenham para transferir os feridos e ajudar com alimentos, remédios e amparada aos prejudicados por esses ataques.

 

O porta-voz do EPLS, Kaual Dim, lamentou esses ataques e disse que sua milícia interveio e conseguiu recuperar o gado roubado pelos atacantes.

Tudo o que sabemos sobre:
Sudão

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.