Quarteto aumenta ajuda financeira à ANP

O quarteto de mediadores para o Oriente Médio - grupo integrado pelos EUA, ONU, União Européia e Rússia - concordou em aumentar a ajuda financeira à Autoridade Nacional Palestina (ANP) e vai pedir que Israel repasse os US$ 500 milhões referentes a impostos cobrados sobre produtos importados através de portos israelenses. As informações são da comissária do bloco Europeu, Benita Ferrero-Waldner, que participou do encontro do quarteto, realizado nesta quarta-feira, em Nova York, durante a Assembléia Geral da ONU. O objetivo da reunião era discutir como reviver as negociações de paz no Oriente Médio. Diplomatas da UE manifestaram seu apoio aos esforços do presidente palestino Mahmoud Abbas para formar um governo de coalizão com o grupo islâmico Hamas, no qual o Fatah, partido de Abbas, visto como moderado, teria um peso maior que hoje.Autoridades americanas disseram que os EUA vão procurar "garantias" para negociar com esse governo de coalizão, o que representa uma flexibilização no posicionamento do país, que até agora se recusava de antemão a conversar com qualquer governo que incluísse o Hamas. Algumas horas depois, numa reunião com Abbas, o presidente George W. Bush chamou o presidente palestino de "homem de paz" e elogiou seus esforços para acabar com os conflitos na região. O Hamas, partido do primeiro-ministro Ismail Hanyie, é considerado um grupo terrorista pela UE e os EUA. Depois que o grupo venceu as eleições parlamentares, em janeiro deste ano, ambos congelaram a ajuda financeira que enviavam aos palestinos e Israel deixou de repassar os impostos de produtos importados pelos palestinos. Hoje, a Autoridade Nacional Palestina está falida e a pobreza está aumentando na região.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.