Quarteto critica Israel por decisão de construir em assentamentos

País aprovou a construção de 277 novas casas na segunda; ao todo, quer aprovar quase 3 mil

estadão.com.br,

16 de agosto de 2011 | 16h01

O Quarteto para o Oriente Médio criticou nesta terça-feira, 16, o governo de Israel por ter aprovado a construção de mais centenas de habitações em assentamentos judaicos na Cisjordânia.

 

Veja também:

blog CHACRA: Ariel deveria ser cidade judaica na Palestina

 

A decisão israelense "denota a urgente necessidade de as partes retornarem a negociações sérias e substanciais", diz a nota do Quarteto, formado por EUA, Rússia, União Europeia e ONU. O comunicado acrescenta que a retomada de conversações é "o único caminho para uma solução justa e duradoura do conflito".

 

O grupo criticou Israel pela "decisão unilateral" tomada em um momento no qual os mediadores se esforçam para levar israelenses e palestinos de volta à mesa de negociações. Segundo a nota, "ações unilaterais de qualquer lado (Israel ou os palestinos) não serão reconhecidas pela comunidade internacional".

 

Jerusalém

 

Na nota, segundo a Reuters, o Quarteto afirmou ainda estar "imensamente preocupado com os recentes anúncios de Israel de avançar no planejamento de novas unidades residenciais em Ariel e Jerusalém Oriental".

 

"Jerusalém em especial é um dos temas centrais que devem ser resolvidos por meio de negociações entre as partes", disse o grupo.

 

Quase 3 mil novas casas

 

Na segunda-feira, Israel aprovou a construção de 277 habitações na colônia judaica de Ariel. Ao longo da última semana, autoridades aprovaram 2,5 mil novas habitações para judeus em Jerusalém Oriental.

 

Além disso, o país indicou a intenção de aprovar a construção de mais 2,7 mil casas em breve.

 

Os palestinos reivindicam a Cisjordânia, a Faixa de Gaza e Jerusalém Oriental como parte de um futuro Estado palestino independente, soberano, viável e com continuidade territorial.

 

Com Reuters e Agência Estado

Tudo o que sabemos sobre:
IsraelpalestinosQuarteto

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.