Quarteto propõe agenda para negociação de paz no Oriente Médio

O "Quarteto" de mediadores do Oriente Médio propôs nesta sexta-feira que Israel e os palestinos se encontrem dentro de um mês para finalizar uma agenda para a retomada das negociações de paz.

REUTERS

23 Setembro 2011 | 17h31

Em comunicado, o Quarteto -- formado por ONU, União Europeia, Estados Unidos e Rússia -- disse que gostaria de ver propostas construtivas dentre de três meses sobre a divisão de territórios e a segurança da região, e que espera um avanço significativo num período de seis meses.

A meta é alcançar um acordo de paz antes do fim de 2012, disse o comunicado, divulgado após reunião do secretário-geral da ONU, Ban Ki-monn, com a chefe de política externa da UE, Catherine Ashton, a secretária de Estado norte-americana, Hillary Clinton, e o chanceler russo, Sergei Lavrov.

Mais cedo nesta sexta-feira, o presidente da Autoridade Palestina, Mahmoud Abbas, apresentou uma solicitação formal ao Conselho de Segurança da ONU pedindo o reconhecimento do Estado palestino.

Os EUA e Israel afirmam que um Estado palestino só pode ser alcançado através de negociações diretas de paz entre as partes, e os norte-americanos anunciaram que vão usar seu poder de veto no Conselho de Segurança.

O Quarteto, que trabalha há meses em busca de uma fórmula para retomar as negociações entre israelenses e palestinos, pediu no comunicado que as duas partes recuem com suas "ações provocativas".

Ashton, falando a repórteres quando o comunicado foi divulgado, disse que tanto os israelenses como os palestinos têm consciência dos "elementos" da nova proposta, mas indicou que não está certo que as partes vão aceitar participar das novas conversas.

"Esperamos que as partes respondam positivamente", disse ela.

(Reportagem de Patrick Worsnip)

Mais conteúdo sobre:
ONUASSEMBLEIACOMUNICADO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.